Menu fechado

Tag: pulpzine

Outubro de Cordéis e Contos

Em outubro os meus três lançamentos foram dois cordéis e um conto. Também lanço hoje a edição 34 do Cordel Encastelado, uma coletânea de 6 cordéis (cada um de um autor diferente) falando do nosso país.

Romance de Zé e Valentina

Seguindo aquele roteiro clichê de troca de corpos (ou de mentes), o Romance de Zé e Valentina apresenta duas pessoas que não se conhecem – Zoé e Valentim. Os dois certo dia acordam no corpo um do outro. Então começa a confusão: um quer descobrir o que aconteceu e voltar ao normal enquanto o outro só quer curtir. Romance de Zé e Valentina é um romance de cordel escrito em 188 setilhas piratas. A capa foi feita por Santhiago Albuquerque. Veja o começo:

Vivemos nas grandes cidades
Cidades bem cheias de gente
Mas onde existirem pessoas
Não se passa um dia somente
Em que a Natureza
Nos traga surpresa
Num mistério surpreendente

Tem sempre um disco voador
Que alguém enxergou no quintal
Uma casa mal assombrada
Um médium sobrenatural
Tem também alguém
Que fale também
De um causo assim bem irreal

Parecia um dia normal
Nossa história começa assim
Um rapaz morava sozinho
E se chamava Valentim
Mas é interessante
Pois leia confiante
A história do início ao fim

Valentim acordou um dia
Estava em um outro local
No espelho quase teve um troço
E se sentou passando mal
Mas deixe que eu conte
O dia de ontem
Um dia que foi mais normal

O Romance de Zé e Valentina está à venda em versão impressa (diretamente comigo) e como ebook na Amazon, dentro do programa Amazon Unlimited.

Os Monstros e a Defesa

Este é um outro cordel absurdo. Uma pequena cidade do interior recebe um ataque de monstros meio robôs, meio animais. Eles se organizam para tentar resistir ao ataque. Um cordel de humor non-sense em 32 setilhas.

A Lua estava bem grande
Era noite na cidade
As pessoas lá na praça
Esperando a tempestade
Não de chuva, mas de monstros
Um exército que invade

De chinelas e na cara
Máscaras do Homem-Aranha
Coletes bem reforçados
Para proteger a banha
Raquetes contra mosquito
Um povo que não se acanha

Para ajudar na defesa
Chamaram um mercenário
Que usa de capacete
Na cabeça um aquário
Com uma capa amarela
Que nem a do Super Mário

O mercenário berrou
Falando com sua voz fanha
– Quando esses monstros chegarem
“Malandros, cheios de manha
Vou bater com tanta força
Que vão parar na Alemanha!”

Os Monstros e a Defesa está à venda na Amazon como ebook.

De La Naturo

De La Naturo é um conto que brinca com o conceito de multiverso. Publicado inicialmente em 2004 (é, faz muito tempo!). Esta nova versão foi revisada e muita coisa foi mudada nele. A principal mudança que fiz foi vinculá-lo ao novo cenário Biotunados, para XR-III. Continua sendo uma história interessante e, espero, ainda melhor que em sua versão inicial.

Dezenove e trinta e já estou na ativa. Os deuses ajudam a quem cedo madruga. Não sei porque falo isso. Nem acredito mais em deuses! De qualquer maneira, alguma coisa me faz acreditar que é bom acordar cedo. Estranho, não é? Nem lembro mais o que eu pensava antigamente sobre isso. Os deuses ajudavam? Talvez, mas isso não devia me servir hoje. É bom à saúde? Pra quê se eu sou imortal?

A noite já caiu faz um tempo e cá estou, em um armazém abandonado esperando pelos outros — meus aliados — para mais uma arriscada missão. Ouço o barulho e o portão se abre. Sabe, ainda não me acostumei com um telecinético no grupo. Por mais que tente entender, não consigo aceitar o que ele faz. Eu sei que é verdade, pois eu vejo, oras! Mas isso rompe as fronteiras da realidade. E eles ainda insistem que essa parada não é magia!

De La Naturo está sendo publicado no Pulp Zine Castelo #8, disponibilizado gratuitamente na Biblioteca Cordéis.com.

Cordel Encastelado #34

Por fim, hoje temos uma nova edição do Cordel Encastelado. O título é Brasil de Norte a Sul, tratando-se de uma coletânea de cordéis com esta temática. Com participação de Alice Fernandes de Moraes, Francinilto Almeida, Girleide A. de Lima, Marcio Fabiano e Milene Lima, além da minha participação.

O velho mundo tem muitos povos, cada um com seu próprio território, sua língua, sua cultura, seus costumes e sua nação. Nós, por outro lado, somos um dos maiores países do mundo. Um dos chamados “países continentais”.

Muito nos une, mas mesmo o que nos une — como a nossa língua — tem uma sintonia ligeiramente diferente em cada lugar.

Esta edição do Cordel Encastelado faz uma homenagem ao país (enquanto povo e cultura, não enquanto representantes). Apertem os cintos, coloquem o assento na posição vertical e aproveitem a viagem!

Esta edição, assim como todas as anteriores, está disponível gratuitamente como ebook. Você pode ver mais sobre todas as edições, seus participantes, etc, no wiki do projeto.